Carlos Marta a braços com o Ministério Público

por Rua Direita | 2018.06.30 - 10:10

 

 

Prevaricação de titular de cargo político, falsificação de documentos e favorecimento de credores. Destes ilícitos acusa o Ministério Público o ex-presidente da Câmara de Tondela, Carlos Marta. Mais refere ter o ex-autarca adjudicado obras sem concurso no valor de 148 mil euros a empresa que não se podia candidatar, por ter dívidas à Autoridade Tributária e à Segurança Social, tendo para contornar esse óbice recorrido a um “esquema” com outras empresas.

Recordemos que Carlos Marta começou a sua carreira no desporto e nomeadamente no futebol, como delegado da Direcção Geral dos Desportos em Viseu, director do Centro Desportivo de Lamego, vereador da CM Tondela, deputado na Assembleia da República, presidente da autarquia tondelense durante 12 anos, presidente da Associação de Futebol de Viseu, presidente do Conselho de Administração da Fundação do Desporto, Presidente da Direcção da AIRV, onde foi substituir o seu “compagnon de route”, João Cota quando este, estatutariamente não se podia recandidatar, situação que já ultrapassou, numa bizarra dança de cadeiras, em prol do missionarismo público.

Carlos Marta presidiu ainda à CIM Viseu Dão Lafões e, foi acusado, com outros autarcas, da utilização indevida de fundos do Planalto Beirão, como oportunamente noticiámos.

 

Os autarcas do Planalto Beirão e o meio milhão indevidamente recebido… a voz ao MUAP

Os autarcas que meteram a “mão na massa”?

 

 

 

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub