Águas do Planalto vão baixar a tarifa 25%? Milagre eleitoral…

por Rua Direita | 2017.07.03 - 12:41

PARTIDO SOCIALISTA DE TONDELA

Mais uma vez, a ÁGUA

 

A conferência de imprensa do dia 26, dada  na AMRPB, foi uma encenação descuidada e  sem ensaios. É o resultado de uma peça constituída por atores que, durante 4 anos, parecem ter estado de  férias, longe dos munícipes que lhes confiaram as suas sortes. Muito ficou por esclarecer.

Desde 2010, quando se começaram a sentir os efeitos práticos da adenda de 2007  ao contrato com a Águas do Planalto, assinada nas costas dos consumidores e sem ser discutida e votada nas Assembleias Municipais e os preços da água dispararam, que o Partido Socialista denuncia este negócio de contornos obscuros.

Para os atuais autarcas dirigentes, tratava-se de um ato consumado, resignando-se a criticar ou a ignorar todos aqueles que se empenharam na defesa dos consumidores de Tondela, S. Comba Dão, Mortágua, Tábua e Carregal do Sal, esquecendo que um contrato pode sempre ser alterado pelas partes em negociação.  Para estes autarcas, tanto o MUAP como o PS de Tondela eram um bando de arruaceiros e populistas que apenas se queriam promover e desestabilizar a tranquilidade da gestão dos seus municípios.

Quando o MUAP interpôs uma ação popular para ser declarada a ilegalidade da adenda de 2007, estes autarcas, em Tribunal, estiveram ao lado da Águas do Planalto (AP) e contra os interesses dos seus munícipes.

Apesar dos apelos do PS, feitos nos locais próprios, para que a AMRPB patrocinasse  uma equipa de advogados competentes para averiguar, juridicamente, os contornos do negócio, sempre se escusaram a isso, invocando falta de dinheiro, mas acabaram por gastar muitas dezenas de milhares de euros , pagos a uma empresa de auditoria, que nem foi capaz de lidar com a fórmula de cálculo do preço da água, reduzindo-se a concluir que a Águas do Planalto não tem lucros excessivos!

Lê-se no texto distribuído à comunicação social, que agora é que vai ser! Que vão enviar, à Águas do Planalto, uma espécie de ultimato, a exigir uma reunião urgente para os obrigar a baixar o preço da água! Cabe-nos perguntar:  A impossibilidade de ontem, que custaria 40 milhões, passou a ser possível, como? Ou só agora se lembraram que é sempre possível renegociar um contrato, desde que haja empenho nisso? Ou estamos apenas numa encenação pré-eleitoral?

É que é muito estranho que ainda não tenha havido renegociação, mas já se afirme que a água vai baixar 25%!

E se a decisão dos tribunais for pela ilegalidade da adenda de 2007, como é que ficamos?

A verdade é que nem há ultimato, nem haverá esforço financeiro, por parte da AP, continuando todos os atuais encargos, directamente ou não, a recaírem sobre os munícipes e consumidores,  conforme já acordado em reunião que antecedeu o anúncio!

Congratulamo-nos por uma eventual descida dos preços da água, como qualquer outra redução de custos fixos dos munícipes,  mas só deixaremos de lutar quando pagarmos um valor justo e que a água deixe de ser objeto de especulação.

O PS continuará a defender que a redução do preço da água seja o resultado da diminuição dos lucros da concessionária, cujo último relatório de contas aponta para uma taxa de rentabilidade de quase 70% do valor do seu capital social, e nunca à custa de compensações a suportar pelas autarquias, entenda-se, cidadãos!

Tondela, 3 de julho de 2017

A Comissão Política Concelhia do Partido Socialista

 

 

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub