Um olhar alheado e indiferente

por Jéssica Ferreira | 2018.04.08 - 21:08

 

Acordei hoje com a notícia que 58 pessoas foram mortas na Síria e dezenas ficaram feridas, com gás químico.

E não, não quero saber quais são os motivos da guerra e como surgiu, quando as imagens que chegam a este canto do mundo, são de uma indescritível crueldade.

Sim, é aqui ao lado, acreditem o mundo é pequeno, todos temos amigos pelo mundo, pessoas nossas a viajar pelo mundo, não é longe, nada é longe.

O que é a guerra? É o sofrimento, o injusto, é o preço de vidas.  A guerra não chegou à Síria ontem, dura há 7 anos, nada se diz, nada se contesta, como se tudo isto não passasse da linha da normalidade…

É mais importante falar do golo do Cristiano Ronaldo e da prisão do Lula.

Não é a Síria que está em guerra, é o mundo.

Há uma criança que acordou cedo neste dia, 8 de abril de 2018, mas que não conseguiu abrir os olhos com o forte gás químico. O olfato lembrou que não havia paz, só cheiro a cadáveres. Não sabe dos vizinhos, da irmã e da mãe.  Não. Adormece todas as noites com o recordar do cheiro a sangue nas ruas, clamores de ajuda e o silêncio da morte. A pensar como sobreviver a esta guerra? Mas em que pensará a criança que nasceu na guerra e viveu todos os seus escassos anos em guerra?

O presidente Putín da Rússia e o do Irão discutem a guerra, mas não a vivem.

Esta e outras crianças gritam surdamente com os pulmões cansados, BASTA!

(Fotos DR)