Trabalhar. Faz sentido?

por PN | 2019.09.30 - 10:06

A campanha do CDS-PP é agressiva. Pelo menos em termos de cartazes.

Desde ADSE para todos à redução de impostos para todos, aos menos 15% de IRS para todos e etc., o CDS-PP serve ao eleitorado uma atraente proposta para pôr em prática quando for governo.

Todavia, o CDS-PP não será governo. E sabe-o. Por isso, de bandeja doirada, oferece tudo e mais alguma coisa. Não obstante saber impossíveis tais dádivas e tê-lo provado no governo de coligação PàF que integrou com o PSD; não obstante saber que o prometido é materialmente impossível de concretizar… ao CDS-PP, provavelmente num acto crescente de desespero, só falta prometer o jóker do euromilhões a cada um dos 11 milhões de portugueses.

E porém, se todas as campanhas sem excepção são baseadas no muito prometer para pouco ou nada fazer, ciclicamente, de x em x anos, esta catrefada de esperança, probabilidades e expectações é-nos servida como engodo ou isca. Mas haverá limites. Ou não?

Provavelmente numa atitude avessa à verdade porque assente na falácia, uma campanha com “petas-spots“, é agravada pelo prévio conhecimento de que a promessa não passa de uma ardilosa mentira. Um mero embuste, um ludíbrio, uma aldrabice.

Talvez por isso o descrédito crescente dos vendedores da “banha da cobra”… cientes da sua salvação política assentar no logro dos ainda cândidos e alheados eleitores, mormente dos mais acríticos, que não pensam pela própria cabeça e se agarram à ilusão de que o Eldorado mora ao lado…

Trabalhar. Faz sentido? Sim, mas de 4 em 4 anos!

Paulo Neto