Rogério Abrantes 1 – Almeida Henriques 0

por PN | 2019.07.29 - 12:37

Segundo um quotidiano local …

Almeida Henriques, garantiu que não será candidato à presidência da Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões e que não inviabilizará “qualquer tipo de solução” que seja encontrada para esse cargo. “Não sou, nem nunca serei, mesmo que venha a fazer um terceiro mandato. Tê-lo ia sido no primeiro mandato se os meus colegas o tivessem aceitado”

Claro que lhe ficam bem estes sentimentos, este pensar, este agir. Atirou o barro à pare. Não colou… e agarrou-se à fábula de La Fontaine, “A Raposa e as Uvas”: estão verdes, não prestam.

Quando não se consegue lá chegar e não há a capacidade e a humildade de o reconhecer, as uvas nunca prestam.

Almeida Henriques tem arranjado polémicas suficientes com a CIM Viseu Dão Lafões para quase se ter tornado um “indesejável”. E não são já só os autarcas do PS que se “riem” dele com desdém. Também no seio dos autarcas do PSD há quem esteja a ficar “farto de birras de vice-rei do Rossio”.

Desde o início que os 13 restantes autarcas desta CIM – com duas ou três excepções – perceberam o fim e fito de Almeida Henriques, logo até quando quis tirar a sede de Tondela para Viseu ou quando se opôs a José Morgado (que trazia ao “colo“), obrigando a CCDR-C para dilicidar o imbróglio que criou.

São “zaragatas” a mais para quem nunca escondeu ao que vinha desde o início do seu mandato, em espírito de missão, como outros “missionários” que lhe são próximos (inclusive na Viseu Marca), quando tudo fez para ficar com o lugar.

Felizmente que ainda há autarcas com critério que lhe cortaram, cortam e cortarão cerce – tão cerce como as árvores abatidas por todo o lado em Viseu – o reiterado desplante de deitar mão a todos os centros de decisão. Porque será?

Paulo Neto