Quem quer “decapitar” Lúcia Silva?

por PN | 2017.10.30 - 17:31

 

 

E de repente, ziguezagueante como o tempo e ademais imprevisível, a eleição para a concelhia PS Viseu virou “bernarda”.

Lúcia Silva, deputada à AR, vereadora da oposição à autarquia local e presidente das Mulheres Socialistas cá do território, teve toda a legitimidade para e numa jogada com bom timing político, apresentar a sua candidatura ao lugar agora ocupado por Adelaide Modesto. Porém, inesperadamente, surge também a candidatura de um Ginestal, desta feita Gonçalo. Mas o outro Ginestal, desta feita Miguel, não era um esteio de Lúcia Silva? Se o era, já não é.

Há que ganhar concelhias e ganhar distritais, pois não tarda está na hora de decidir/escolher quem serão os candidatos a deputados da Nação. Decerto temos que nos 4 primeiros terão que ir 2 mulheres. Quem são? Naturalmente, Maria Manuel Leitão, a ministra da Modernização Administrativa, que deixará o lugar para ir para o Governo, se Costa e o PS ainda lá estiverem, como tudo indica. Lúcia Silva? E se aparecer, Rosa Monteiro, que não sendo militante do partido o pode ser a qualquer momento? E a deputada do Norte, Marisabel Moutela, onde cabe? Ou não cabe? E quem são os 2 homens do quarteto? O de Santa Comba o desejará, mas… E o outro, quem será? Aceitam-se palpites… Não esqueçamos o actual secretário de Estado da Juventude e Desporto… Com que troika estará? Não serão demais?

Ganhar a concelhia é assim fundamental, pois Viseu e Mangualde juntas neutralizarão Lamego e Resende, os redutos de Borges. Se Lúcia Silva não ganhar a concelhia perde a legitimidade para ser vereadora da CMV, pois viu-lhe retirada a “confiança política” do seu partido, podendo Almeida Henriques perguntar-lhe, em qualquer altura e neste âmbito, em nome de quem fala e com que legitimidade se opõe.

Por outro lado, e porque uma desgraça nunca vem só, parece emergir para presidente das Mulheres Socialistas uma nova cara, do séquito de Borges, de nome Marta…

Neste jogo está em causa o tudo ou nada. Se no tal Gonçalo não se vê nenhum merecimento que vá para além do apelido e da oportunidade, já Lúcia Silva, goste-se ou deteste-se, foi à luta e deu provas no terreno… todavia, as fidelidades (?) a Borges poderão ser-lhe letais.

Poderíamos ainda escrever sobre outras concelhias vizinhas, mas sobre essas, a seu tempo e com detalhe nos reportaremos.