Prioridades invertidas

por Carlos Cunha | 2019.02.15 - 17:01

Viseu terá, dentro em breve, e fazendo boa fé em mais um anúncio do Município, um Parque destinado ao exercício de cães.

Este Parque está projetado para as margens do Rio Pavia, próximo do Centro de Monitorização e Interpretação Ambiental, antigos moinhos do Pavia.

Trata-se de um investimento a rondar os 75 mil euros, que se destina ao bem-estar animal. Mas neste domínio ainda muito há para fazer, começando pela melhoria das instalações do veterinário municipal, localizadas nuns anexos sem condições mínimas no Parque do Fontelo.

Os serviços do veterinário municipal são bastante solicitados, sobretudo em matéria de vacinação e de colocação de chip’s, por terem qualidade e também por comportarem custos mais baixos.

Quem ali se desloca com os seus amigos numa sexta-feira à tarde em que chova tem de aguardar ao frio e à chuva num pequeno telheiro até chegar a sua vez de ser atendido.

De facto, as atuais condições não se coadunam em nada com uma imagem de modernidade que o Município tende em propagandear da cidade.

Uma vez mais, as prioridades do investimento público municipal andam claramente invertidas, pois, a prioridade seria a de melhorar em primeiro lugar as instalações do veterinário municipal, oferecendo mais conforto e melhores condições de trabalho aos profissionais que ali desempenham as suas funções, aos donos e aos seus animais de companhia, maioritariamente cães e gatos.

Para além do mais, continua a não existir em Viseu, em pleno séc.XXI, um Canil/Gatil Municipal, até quando?

Carlos Cunha é militante do CDS-PP de Viseu e deputado na Assembleia Municipal. Licenciado em Português/Francês pela Escola Superior de Educação de Viseu concluiu, em 2002, a sua Pós Graduação em Educação Especial no pólo de Viseu da Universidade Católica Portuguesa.

Pub