Porque nos caem as lágrimas?

por PN | 2018.04.02 - 12:18

 

Troglodita é aquele que penetra num buraco. Usamos a palavra apenas olhando para o homem das cavernas, o materno ventre protector de todas as ameaças e perigos. E hoje, o troglodita é o quê? Sou eu, por fraco exemplo e sem recear represália. Só por fadiga do outro.

Talvez hoje sejamos todos trogloditas inscientes. Que tem a complacência a ver com isso? Muito, poderia dizer ou escrever como quem diz e é a fala dos solitários.

A placenta é o que nos liga ao lugar de onde saímos. Uma espécie de cordoveia onde a linfa vital corre.

A osmose, essa impulsão que pode ser endon e exô. Mas a placenta é também o elo a ti, a mão estendida – em garra aberta – com temor de perder. Provável criação da saudade ou perda anunciada. Pré-visita – essa espécie de hipotipose que não alcanço – da imagem da alucinação, implacável, porque não é redutível à paz, antes palimedia do desassossego.

Ou antes a cegueira. Por isso o homem dorme. Para não ver.

Porque nos caem as lágrimas? Porque é do alto que jorra a fonte, para fugir à nascente.