Os EUA destroem túneis que construíram no Afeganistão

por Romira Jamba | 2017.04.14 - 12:22

 

Apareceu ontem uma fotografia de Trump, num fundo azul escuro, com a bandeira norte-americana de cenário e com o braço direito no ar, de punho fechado, como deve ter visto nalgum poster do “Che Guevara”.

Nas notícias, os títulos variam, mas andam todos em torno da mais potente bomba não nuclear, cuja sigla é MOAB e alcunha MAB – “Mother of All Bombs”. Foi lançada no Afeganistão, na província de Nangarhar.

O Afeganistão tem aproximadamente 40 milhões de habitantes e é geo estrategicamente um estado importante, pois faz fronteira com o Paquistão, Irão, China, etc. Por sua vez, o Paquistão tem 180 milhões de habitantes; o Irão tem 80 milhões; a China… tem 1 bilião e 36 milhões de habitantes. Isto é muita gente…

A dita bomba, ao que dizem, destruiu 3 túneis dos terroristas do Daesh e matou 30 e tal “terroristas.

Segundo Edward Snowden, a bomba custou 314 milhões de dólares e serviu para destruir túneis pagos pelos EUA. Interessante.

Edward Snowden

✔ @Snowden

The bomb dropped today in the middle of nowhere, Afghanistan, cost $314,000,000.

Those mujahedeen tunnel networks we’re bombing in Afghanistan? We paid for them. #Blowback http://www.nytimes.com/2005/09/11/magazine/lost-at-tora-bora.html …

20: 00 – 13 Apr 2017

 

Os EUA criaram um superministério contra o terrorismo com 22 agências que comportam mais de 170 mil funcionários e um orçamento superior a 50 mil milhões de dólares. Em nome do “terrorismo” abriram-se as vias para os estados hiperpoliciados. Ao mesmo tempo aproveitou-se o élan para reprimir a dissidência política, eliminar direitos humanos, aumentar a repressão, exacerbar a xenofobia, recrudescer a extrema-direita, potenciar a globalização liberal…

Os EUA são hoje uma hiperpotência. Mas serão a única?

Isto não vai acabar bem.