O “deslumbrado” novo chefe de gabinete do Ministro da Defesa Nacional. “Podia ser pior!”

por PN | 2018.10.21 - 11:05

Paulo Lopes Lourenço há-de ser homem de reconhecido mérito em matéria de Defesa Nacional.

Provavelmente terá sido esse um dos motivos que levou João Gomes Cravinho, que veio do Brasil onde, não sendo diplomata de carreira, ocupava o cargo de Embaixador da EU, a convidar o cônsul de Portugal em S. Paulo desde 2012 para seu chefe de gabinete, fazendo história, ao recusar um militar para o cargo. Estaria a pensar no chefe de gabinete de Azeredo Lopes e na sua “inabilidade”?

Paulo Lopes Lourenço foi assessor diplomático de Paulo Portas, quando aquele ocupou a pasta. Daí talvez a sua experiência na matéria.

Independentemente de critérios diplomáticos ou outros, Churchil explicava assim, lapidar, o paradigma da mudança aliado à diplomacia:

“Melhorar é mudar, ou seja, ser perfeito significa mudar constantemente”

Será perfeito ou em busca de perfeição caminhará o novo chefe de gabinete. Talvez por isso, logo após tomar posse, na sua página do FB, não resistiu a postar fotos do seu gabinete, da bela vista avistada da “casa fidalga”, dos luxos de que usufruía, loiças e pequeno almoço incluídos e rematando galhardamente “Podia ser pior!”.

Pois podia. Mas melhor mesmo seria o “parvenu” esquecer tonterias de novo-rico – que decerto não será – e a pôr de lado a ostentação e a vaidade bacoca – que decerto não terá –  ainda para mais, num Ministério a quem o sair das bocas do mundo por uns tempos seria uma celestial bênção, depois de todas as trapalhadas ainda por explicar e por lá ocorridas.

Dizem-no um delfim de Luís Amado, que foi Ministro dos Negócios Estrangeiros (2005-2006) e da Defesa Nacional (2006-2009), de José Sócrates. Será…

Como certamente é um homem sensato e prenhe de mérito, após um tresvairo de deslumbramento legítimo, começará a fazer política a sério que, e recorrendo de novo a Churchil,

“é a habilidade de prever o que acontece de manhã, a próxima semana, o próximo mês e o próximo ano. E, depois, ter a habilidade de explicar porque isso não aconteceu”

A eurodeputada Ana Gomes, em comentário ad latere, mima-o assim: “gente da pior direita” e “homem da direita mais sem princípios”… mas provavelmente… estaria com “azia”.

 

(Fotos DR)