Melo e a Fonte dos Namorados – Gouveia

por PN | 2017.09.19 - 10:41

 

 

Os leitores mais “casa da casa” me desculparão por me distanciar hoje das “politiquices” caseiras ou nacionais. Um homem tem direito a uma “folga”. E hoje, aqui vos deixo um sugestão gastronómica. Perdoai-me do tresvairo…

Melo é uma aldeia do concelho de Gouveia, que juntamente com Nabais, formou a União das Freguesias com esses nomes. Aqui nasceu o grande escritor Vergílio Ferreira e aqui regressou à “terra”. No último censo tinha meio milhar de habitantes. Mas tem também um restaurante acolhedor e simpático chamada de Fonte dos Namorados.

Ontem por lá amesendei com um casal amigo. Bem recebidos pelo patrão Ricardo Coelho, logo se lhe requereu o que já lá em tempos se petiscara: a barriguinha salgada, assim a modos que um presunto gordo e com sal qb de outra corpórea área do digno e leal “cevado”. Uma delícia letal… Quase se ouve o ácido úrico e o colesterol a disparar em flecha, mas o sabor, meus senhores, vale o castigo. De seguida, pois claro, o amaciado Queijo da Serra, da boa bordaleira, a complementar o anterior “veneno” e, como se não bastasse, logo se lhe seguiram a alheira, a chouriça, a morcela, as iscas de fígado de cebolada…

Da escolha nos cingimos às sugestões do dia e em boa hora o fizemos: a vitela estufada com batata assada apresentou-se um mimo de tenrura e sabor. Outrotanto com o cabritinho assado no forno, com batata frita aos cubos e arroz de legumes, sápido e de muita integridade gustativa.

O vinho, oriundo de Gouveia, pois claro, foi um tinto Dão DOC, Quinta da Ponte Pedrinha, Reserva de 2005, com 15 de graduação e, segundo os provadores, a fazer pleno jus aos pitéus, fortes, agressivos e carentes de um solúvel amaciador e de teor expressivo e requintado.

As sobremesas, de buffet, com arroz doce, leite de creme e quejandos cumpriram seu dever.

Para refeição de tal teor se esportulam menos de 20 € que, apaziguados, abençoados e fiéis, não achamos exagero.

Se aprecia a boa comida serrana, caça, fumeiros e garrafeira adequada, bate no sítio certo. Ademais, ao fim, não lhe falta oportunidade de e na loja, poder adquirir o soberbo Queijo da Serra, curado (para os especialistas) ou “amanteigado” (para os leigos) e a tal barriga salgada para, contumaz e persistente, poder continuar a pecar já no remanso do lar.

E não se esqueça, está nas faldas dos Montes Hermínios e a um tiro de escopeta de Gouveia, que tanto têm para visitar e ver… De passagem, pode marcar o jantar no Albertino, em Folgosinho. Mas isso, será história para outros contos…

Marcações: 238 745 245.

http://www.fontedosnamorados.com/

 

Nota: Como sempre, este artigo não foi encomendado e o descrito foi pago.