LEVAR A FEIRA DE SÃO MATEUS AO COMÉRCIO TRADICIONAL

por José Pedro Gomes | 2018.01.29 - 19:21

 

 

 

Nos últimos dias, foi divulgado o pedido de 70 comerciantes do Centro Histórico para serem alteradas as datas da Feira de São Mateus.

Os comerciantes alegam que a maior parte dos que participam na Feira não são de Viseu e, por isso, reclamam alguma justiça por quem paga os impostos cá; falam no movimento urbano que havia quando a Feira abria em Setembro; falam nos rendimentos do mês de Agosto que os ajudava muito para o resto do ano, devido à presença dos emigrantes.

O que diz o Município? Que o calendário garante o sucesso e que os indicadores falam por si.

Com toda a sinceridade, não ponho isso em causa. Reconheço inclusivamente o esforço dos últimos anos pela modernização e revitalização deste certame, a nível económico, cultural e turístico. Reagiu-se perante a necessidade de retomar o alcance abrangente e intergeracional da Feira. Inovou-se perante a necessidade de diversificar a oferta e o cartaz cultural. Actuou-se perante a necessidade de adaptar a Feira a diferentes níveis de exigência e sofisticação dos viseenses e demais potenciais visitantes.

No entanto, perante uma reivindicação destas dos comerciantes da nossa cidade, o executivo camarário não pode dizer só isto. Tem de perceber, e neste caso, aceitar que este problema existe. E tem de considerar dar-lhe respostas.

A ideia de levar a Feira de São Mateus ao comércio tradicional pode constituir um projecto de grande mais-valia para todos.

A feira pode passar a realizar-se fisicamente, não só dentro dos limites do seu recinto tradicional, mas também noutras localizações e equipamentos da cidade, com destaque para o Centro Histórico e as próprias ruas centrais de Viseu.

A própria programação do evento deve constituir um caminho para a revitalização do centro histórico e do comércio de rua (duas realidades actualmente em clara agonia), concretizando-se em espectáculos e eventos realizados nas ruas da cidade e noutras localizações exteriores.  Esta opção poderá inclusivamente permitir o alargamento dos horários de funcionamento dos estabelecimentos, de forma a potenciar comercialmente a movimentação e afluência de público.

Outras acções possíveis serão dar continuidade à iluminação da Feira, aplicando-a também nas ruas comerciais, realizar semanas temáticas dedicadas a ruas comerciais da cidade, nunca esquecendo a discriminação positiva para os comerciantes de Viseu nas tarifas dos expositores.

Assim, conseguiremos diversificar o programa, atrair novos públicos e fundamentalmente, em concertação com os vários interessados, chamamos o comércio tradicional que não participa no evento e minimizamos a diminuição de receitas no decorrer do mesmo, promovemos a passagem dos visitantes da Feira pela cidade e damos um impulso à actividade turística e económica.