E escreve o Borges comendador das águas, num belo tom bordeaux que aqui não aparece…

por PN | 2018.02.14 - 13:19

 

 

Car@ camarada

Sou de novo candidato à presidência da federação distrital. Conto com o apoio de todos para continuarmos a ganhar, afirmando o PS como a maior força política nos nossos concelhos.

– No país e no distrito de Viseu conseguimos nas últimas eleições autárquicas a maior vitória de sempre. Ganhamos de uma forma como antes nunca tinha acontecido!

– O Governo do PS regista um assinalável sucesso, construindo uma estabilidade governativa assinalável, atingindo resultados únicos nos mais diferentes domínios, com a economia a crescer como não aconteceu nas últimas décadas. O que exige uma grande adesão e responsabilidade dos socialistas a um esforço de concertação e coesão internas! É um caminho que não deve ser interrompido!

– Dar continuidade aos anteriores mandatos, valorizar e ajudar a valorizar a atuação do Governo liderado por António Costa, e a ideia clara de que o futuro se constrói trabalhando para uma vitória nas próximas eleições legislativas de 2019, incluindo uma vitória do PS no distrito de Viseu, são as grandes linhas que mais que justificam a nossa recandidatura.

– O virar de página das políticas da Direita que nos governou, a nova governação que está hoje em marcha, representa uma melhor repartição da riqueza e do esforço de recuperação nacional, mais rendimentos para as famílias, menos carga fiscal, mais apoios e aumento das prestações socias, menos desemprego e mais inclusão. Todos estão muito melhor! Candidato-me por isso mesmo! Para continuar a ganhar como aconteceu nas eleições autárquicas e para contribuir para seguirmos este caminho.

A nossa moção “Continuar a ganhar o futuro com o PS” aponta essa direção .

Saudações socialistas

António Borges

 

Viseu, fevereiro de 2018

______________________________

Tirando o mau português de quem lhe escreveu a peça, a verdade é só uma:

António Borges, como um castrador, eliminou todos à partida, inviabilizando qualquer candidatura de qualquer outro putativo candidato.

O ex autarca, ex-deputado e actual membro da administração das Águas do Douro e Paiva, SA *, por coincidência o mesmo Douro que lhe passava aos pés, em Resende e o mesmo Vouga que lhe vai desaguar, engrossando-lhe o caudal, agora privatizada empresa das águas de todos nós, faz lembrar no sucesso o seu colega de armas e seu número 2 no apoio, Miguel Ginestal**, que pontifica desde a APIFARMA, apontados à política de bastidores, como hobby, nos intervalos das suas reputadas e devotadas funções profissionais.

Borges, indefectível apoiante de Seguro, como Ginestal, apoia agora incondicionalmente António Costa, que não se esquece de gabar, aproveitando o ensejo de chamar a si parte de tantos sucessos governativos. “Todos estão muito melhor!”, clama o actual líder que, ao estilo coreano, veio para ficar. E tem razão. Provavelmente, antes de pensar nos 11 milhões de portugueses, terá pensado nele e no amigo Miguel, o tal que votava “mais pela Educação”…

Certo é que Borges “tirou o piu” a todos os adversários, que muito gostariam de ter coragem para o enfrentar, mas não a tendo, a ele se vão colar na expectiva das migalhas a distribuir num futiro próximo.

________________________________

* Quem somos

A Águas do Douro e Paiva, S.A. é uma sociedade anónima de capitais exclusivamente públicos, criada pelo Decreto-Lei 16/2017, de 01 de fevereiro, responsável pela construção, gestão e concessão do sistema multimunicipal de abastecimento do sul do Grande Porto, em regime de exclusivo e por um prazo de 20 anos.

Esta empresa resulta da cisão do sistema multimunicipal de abastecimento de água e de saneamento do Norte de Portugal, resultante da agregação de sistemas que foi criado pelo Decreto-Lei n.º 93/2015, de 29 de maio.

A empresa tem como objetivo a captação, o tratamento e o abastecimento de água para consumo público a 1,7 milhões de habitantes residentes nos 20 municípios acionistas, abrangendo uma área de 2.715 km².

Segundo o contrato de concessão a empresa é constituída pela Águas de Portugal, SGPS, S.A., que detém 51% do capital social e pelos Municípios de Amarante, Arouca, Baião, Castelo de Paiva, Cinfães, Espinho, Felgueiras, Gondomar, Lousada, Maia, Matosinhos, Oliveira de Azeméis, Ovar, Paços de Ferreira, Paredes, Porto, Santa Maria da Feira, São João da Madeira, Valongo e Vila Nova de Gaia que detêm os restantes 49%.

 

** http://www.ruadireita.pt/editorial/miguel-ginestal-na-industria-farmaceutica-9071.html