Chico-espertismo comodista

por Joana Gomes | 2017.03.15 - 21:20

Hoje fui ao Lidl.

Não é que seja uma informação particularmente relevante para o que vos vou contar a seguir, mas como até disse onde ia antes de sair de casa, não tenho nada a temer!

Fui ao Lidl e logo à entrada, nos estacionamentos reservados para pessoas com deficiência, estava um carro estacionado, com o condutor lá dentro.

Eu entendo que para se estar dentro do carro num parque de estacionamento convém ter um lugar espaçoso e, principalmente, à porta do estabelecimento. E se isso implicar passar uma imagem de chico-espertismo tremenda, tanto melhor.

No entanto, por muito forte que seja a deficiência moral de uma pessoa que estaciona num lugar por lei dedicado a pessoas incapacitadas, peço-vos que se leve a cena mais a sério: arranjem um dístico. Sejam chico-espertos-mor e corrompam alguém para vos arranjar um!

Como compreenderão, baptizei o senhor de muitos nomes no meu curto trajecto até à porta, até porque, pasme-se, havia lugares em barda em todo o estacionamento. Aliás, o meu lugar era ao lado do dele. (Bolas, quanto romantismo nesta frase..)

Mas como toda a boa história tem um climax, eis o momento alto da minha: estava eu já no meu carro para me vir embora, quando ouço grande estrondo seguido de um grito. Olho assustada para ver o que se havia passado e concluo que o nosso protagonista tinha acabado de enfiar a traseira nos pinos metálicos à porta do Lidl. Mas uma coisa com atitude mesmo, não foi um toque.

Homem e mulher saem do carro para avaliar os estragos. Vejo pelo retrovisor o senhor deitar as mãos à cabeça.

Compadeci-me de tal forma que ainda estive para ir lá pedir-lhe que tivesse um pouco de “Karma”…