“As universidades estão a formar pessoas todas iguais: cinzentas”

por PN | 2018.08.06 - 14:48

 

 

 

Norberto Pires é um brilhante “desalinhado”. Tem três enormes “defeitos”: é inteligente, pensa pela sua cabeça e diz o que pensa.

Dirá o leitor que estes ingredientes são fantásticos. Pois são, mas também são propiciadores de muitas invejas mesquinhas e críticas pouca sérias num país “governado” por políticos “cinzentos”.

Norberto Pires foi presidente da CCDR-C e, de imediato, se tornou um espinho incómodo para o sistema. Sistema composto à época por Almeidas Henriques, Poiares Maduros et all.

O seu desassombro valeu-lhe uma saída prematura do cargo que ocupava. Hoje, professor  associado com agregação na Universidade de Coimbra, tem atrás de si um longo CV. O Rua Direita orgulha-se de o ter entre os seus colaboradores.

Norberto Pires é licenciado em Engenharia Física, ramo de Instrumentação (1991), Mestre em Física Tecnológica, também no ramo de Instrumentação (1994), e Doutor em Engenharia Mecânica, especialidade de Automação e Robótica (1999). Fez pos-doc em Lund na Suécia em Controlo Automático (1999-2000) e esteve em várias universidades como cientista convidado.

Foi presidente da Sociedade Portuguesa de Robótica, da Associação Portuguesa de Controlo Automático, Presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro, Presidente do Comité de Investimento JESSICA Holding Fund Portugal, membro do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia, membro do Conselho Nacional de Empreendedorismo e Inovação, entre outros cargos.

Em 2012 o Norberto Pires fez este TEDxCoimbraSalon no Anfiteatro Salgado Zenha da AAC. Era na altura Presidente da CCDRC. O resultado foi uma enorme confusão…

Ele confidenciou-me os telefonemas e avisos que recebeu, os quais tenho a certeza que ignorou, porque é um homem livre.

Continua, sem medo, a pensar exatamente da mesma forma. Chamou a esta apresentação TEDx “O Grito“. Espero que gostem. Tem tudo a ver com este país que não se leva a sério, não se governa e não quer saber.

Quanto ao Norberto, a pensar assim, a ser assim tão fontal, não terá grande futuro na política. Mas ele sabe disso.

Como sugeriu o PR, em Portugal manda a família…