As últimas sondagens para domingo…

por PN | 2019.10.04 - 12:48

Dois semanários, o Sol e o Expresso, apresentam nesta sua edição o resultado das sondagens feitas para as eleições do dia 6 de Outubro.

Pouco há diferença há entre elas.  O Sol apresenta estes resultados:

38,8% PS

25,5% PSD

9,6% BE

7,1% CDU-PEV

5,0% CDS-PP

4,0% PAN

Destes resultados, a confirmarem-se, emergirão 109/117 deputados para o PS; 68/76 para o PSD; 17/19 para o BE; 13/14 para a CDU; 7 para o CDS; 5/6 para o PAN e 1 / 2 para outros.

Mais especifica o Sol que o PS poderá vir a ter 113 deputados, o PSD 72, o BE 18, a CDU 14, o CDS 7, o PAN 5…

A nível distrital e no caso concreto de Viseu, com 8 deputados, a sondagem dá 4 deputados ao PS e 4 ao PSD, perdendo o CDS o seu deputado. Recorde-se que a distribuição obtida em 2015 era: PàF 5, PS 3, ou seja, PSD 4 e CDS 1 deputado.

Este estudo de opinião foi efectuado pela EUROSONDAGEM

Já a sondagem do Expresso foi coordenada por uma equipa do ICS-UL e do ISCTE e apresenta-nos os seguintes resultados:

PS 38%;

PSD 28%;

BE 10%;

PCP-PEV 7%;

CDS 5%;

PAN 3%;

outros 5%;

Brancos e nulos 4%.

Se o PS não obtém a maioria, qualquer aliança, até com o PAN, lha concederá, pois, sendo necessários 115 + 1 deputados, os cenários menos optimistas determinarão que a maioria se obterá:

Com o BE – 104 + 16

Com o PCP-PEV – 104 + 9

Com o PAN , num cenário mais optimista 114 + 5

Com a “Geringonça”, 104 + 16 + 9

Com o PSD 116 + 73

Ainda voltando ao distrito de Viseu, no ex-Cavaquistão, o PSD mantém-se inalterado, o PS elege mais um deputado (tenhamos presente que a acontecer grande parte do mérito se deve aos seus cabeças de lista, respectivamente, Fernando Ruas e João Azevedo), o CDS-PP perde o seu deputado Hélder Amaral.

Este resultado, a nível nacional, a verificar-se, configura uma pesada derrota para o Centro-Direita, colocando as seguintes questões no “day after”:

Rio sai ou permanece? As opiniões indicam que não se arredará do cargo. Quanto ao CDS-PP, aponta-se a sucessão de Cristas por Mota Soares.

Fundamental é, no próximo domingo, todos cumprirmos o nosso dever e direito de cidadania e irmos votar, não dando força à abstenção, antes a combatendo com empenhamento.

Paulo Neto