As 9 personalidades de “reconhecido mérito” para o IPV ?!?!

por Paulo Neto | 2017.04.06 - 10:32

 

 

De acordo com o disposto nos Estatutos do IPV, as 9 personalidades cooptadas de “reconhecido mérito, ligadas a atividades profissionais e empresariais de vários quadrantes da comunidade socioeconómica, com conhecimentos e experiência relevantes para a missão do Instituto Politécnico de Viseu”, são as que a seguir se enunciam, aqui apresentadas por ordem alfabética:

 

Alfredo Manuel Pires Simões, coordenador da ADDLAP;

António Correia de Campos, presidente do Conselho Economico e Social;

António Maria Marques Mexia, professor catedrático do Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa;

Arlindo Marques da Cunha, presidente da Comissão Vitivinícola do Dão;

João Fernando Rebelo Cotta, atual presidente do Conselho Geral do IPV e diretor geral da ALS – Australian Laboratory Services para a Europa do Sul;

José Rui Martins, diretor da ACERT;

Marta Cristina de Oliveira Rodrigues, diretora do Centro de Emprego e Formação Profissional de Viseu;

Paula Tavares Mota Garcia, diretora geral e de programação do Centro de Artes e do Espetáculo de Viseu – Teatro Viriato;

Pedro Manuel Monteiro Machado, presidente da Entidade Regional de Turismo do Centro de Portugal.

 

De entre estes nomes, para nós é desconhecido António Maria Marques Mexia.

Quanto aos restantes, três de entre eles merecem a sua “cooptação”. A nosso ver, são:

José Rui Martins; Marta Cristina de Oliveira Rodrigues e Paula Tavares Mota Garcia.

Quantos aos outros, desde o “ex da Saúde” de Sócrates, ao Simões que está em todas, ao Cunha do Dão, ao Cota da comunicação (que se esqueceu de pôr essa faceta empresarial no CV), ao Machado do Turismo, ziguezagueante personagem que parece ter-se perpetuado no Turismo do Centro, encontramos uma lista “fraquinha” a dizer-nos com clareza que este IPV não consegue superar a marca de mediocridade que Fernando Sebastião lhe imprimiu e que, pelos vistos, José Costa, o putativo futuro presidente, parece querer manter.

Nem sei como, esqueceram-se do presidente da AIRV, Carlos Marta, do empresário tondelense Joaquim Coimbra e da estrela fulgurante do PSD, Leitão Amaro.

E depois queixam-se… Este “laranjal”, durante muito tempo horta e pomar de familiares de empresários e de políticos, parece desconhecer a palavra “inovação” e o significado de “mérito”.

Percebe-se agora que José Costa nada trará de novo, antes sendo mais do mesmo. O que é absolutamente lastimável…

 

(foto DR)