Apenas 1% de devolução do IRS para os contribuintes viseenses em 2017

por Carlos Cunha | 2018.04.08 - 11:52

 

Está a decorrer a entrega do IRS. Este ano, e pela primeira vez, os contribuintes abrangidos por esta obrigação têm de entregar a sua declaração eletronicamente durante os meses de Abril e Maio.

O IRS teve este ano outra novidade, com os contribuintes a terem de confirmar previamente os seus dados, o que lhes permitiria, mais tarde, no período de entrega da declaração, optar pela declaração automática, o que comporta vantagens por permitir um reembolso bastante mais rápido.

Para quem trabalha por contra de outrem ou recebe pensão e tem dificuldade no  preenchimento da declaração, este ano as contrariedades são acrescidas sobretudo para quem não se sinta à vontade no manuseamento Internet. Alguns Municípios do Distrito já tomaram medidas e puseram ou vão pôr carrinhas a circular pelas freguesias dos seus Concelhos para ajudar os seus concidadãos. No concelho de Viseu são normalmente as Juntas de Freguesia quem se encarrega desta missão, algumas até têm afixados cartazes com os horários disponíveis para prestar esse apoio no preenchimento da declaração.

Em Viseu, na minha Freguesia, que tem um sítio na Internet e um Boletim Municipal eletrónico nada foi afixado, nestes espaços, sobre o auxílio aos fregueses no apoio ao preenchimento da declaração de IRS. Aqueles que se virem mais enrascados terão de tirar senha e aguardar pacientemente numa das, quase sempre lotadas, repartições de finanças de Viseu.

A Associação Beira Amiga, presidida por Guilherme Almeida, tem como missão proteger e auxiliar os consumidores especialmente aqueles que se encontram em situação de endividamento. Esta entidade, se assim o entendesse, podia disponibilizar aos contribuintes viseenses esse apoio. Certamente estes ficariam muito agradecidos, mas também sabemos que nem tudo lembra.

Já que falamos de IRS, será sempre bom recordar que o Município de Viseu apenas devolve 1% deste imposto aos seus munícipes pagantes. Almeida Henriques, o Presidente do imaterial, é, neste domínio, muito materialista. Até custa a acreditar que uma Autarquia com uma situação financeira controlada não seja capaz de devolver gradualmente mais IRS aos seus munícipes, aumentando assim de forma direta o poder de compra das famílias viseenses, que certamente apreciariam este gesto de boa gestão.

Num tom paternalista Almeida Henriques pensará que quanto mais poder de compra tiverem as famílias viseenses mais estroinas se tornarão, por isso, e com medo que gastem tudo em festas e mais festas, a melhor solução será cortar-lhes na devolução.

Carlos Cunha é militante do CDS-PP de Viseu e deputado na Assembleia Municipal. Licenciado em Português/Francês pela Escola Superior de Educação de Viseu concluiu, em 2002, a sua Pós Graduação em Educação Especial no pólo de Viseu da Universidade Católica Portuguesa.

Pub