A primeira baixa nas Águas de Viseu

por Carlos Cunha | 2018.08.22 - 09:34

          Ainda a procissão está, por estes dias de estio quente, para sair do adro e eis que se regista a primeira desistência: a do Município de Penalva do Castelo, que tomou a decisão de se tornar autossustentável no que à captação e ao abastecimento da água diz respeito.

         Mas vamos por partes, no início do mês de Agosto, já com a maior parte dos deputados municipais e Presidentes de Junta a pensarem mais em férias do que em política, andaram algumas Assembleias Municipais numa fona a reunir extraordinariamente de modo a deixarem tudo decidido para se constituir a empresa intermunicipal Águas de Viseu.

Do lado das Assembleias Municipais bem comportadas temos Viseu, Sátão e Vouzela, com toda a gente a deixar o serviço pronto antes de entrarem em força no querido mês de Agosto.

Do lado dos que adiaram as decisões para Setembro temos as Assembleias Municipais de Vila Nova de Paiva, Mangualde, Nelas e S. Pedro do Sul.

Não será despiciendo mencionarmos que as primeiras são de maioria PSD, enquanto nas restantes são os socialistas quem mais ordena.

O PSD quer ver a questão rapidamente resolvida, enquanto o PS resolveu empurrá-la com a barriga para Setembro. Se não houver consenso todos perdem, mas quem mais perde é o Presidente da Autarquia viseense, pois foi quem mais se empenhou nesta solução.

Interessa neste ponto focarmos a questão de Penalva do Castelo que decidiu abandonar esta solução, porque leu as letras miudinhas do contrato e não se limitou a assinar de cruz ou por solidariedade partidária, argumentando que a tarifa da água iria aumentar no seu concelho assim que a empresa intermunicipal das Águas  estivesse constituída e sem que houvesse obra ou investimento que o justificasse.

Esta posição pode ter outros seguidores inquinando aquela que em tese poderia ser uma boa solução para o problema da água, visto que mais municípios juntos teriam maior capacidade reivindicativa nos corredores ministeriais de Lisboa.

A bem da verdade, seria bom que Almeida Henriques viesse agora a terreiro esclarecer os viseenses se haverá ou não aumento da tarifa da água com a constituição da empresa intermunicipal Águas de Viseu?

Carlos Cunha é militante do CDS-PP de Viseu e deputado na Assembleia Municipal. Licenciado em Português/Francês pela Escola Superior de Educação de Viseu concluiu, em 2002, a sua Pós Graduação em Educação Especial no pólo de Viseu da Universidade Católica Portuguesa.

Pub