A democracia em Viseu a andar para trás?

por Norberto Pires | 2015.08.14 - 12:39

Li estupefacto esta notícia: http://www.jornaldocentro.pt/presidente-com-mais-poderes/

A decisão de atribuir ao presidente da Câmara de Viseu a possibilidade de decidir sozinho as despesas até 75 mil euros é um recuo da democracia, e torna o Executivo da Câmara um verbo de encher. Apesar disso, e segundo a notícia, um vereador da oposição votou a favor. Leio estupefacto que o CDS, concordando com os reparos feitos pelos vereadores do PS, votou a favor da proposta da maioria do PSD.

Agora, a oposição não terá possibilidade de fiscalizar, como é seu dever, a atividade do Executivo da Câmara. O presidente decide e os vereadores da oposição sabem pela base de dados das compras públicas: www.base.gov.pt

Quando o mesmo assunto se colocou na Câmara Municipal de Condeixa, liderada pelo PS, os vereadores do PSD opuseram-se com firmeza e fizeram valer os seus pontos de vista, tendo a decisão sido anulada. Fazer oposição faz-se por príncipios, por apego à democracia e à liberdade, sendo intransigente com a transparência e o escrutínio democrático. Nunca cedam ao POPULISMO e à falta de ÉTICA.

Link: http://eleitospsdcondeixa.com/camara-recua-e-da-razao-aos-vereadores-do-psd/

 

Dizia Francisco Sá Carneiro: “A política sem risco é uma chatice, mas sem ética é uma vergonha“.

 

Professor Associado da Universidade de Coimbra foi Presidente do Conselho de Administração do Coimbra Inovação Parque e Membro do Conselho Nacional para a Ciência e Tecnologia. Possui Mestrado em Física Tecnológica e Doutoramento em Robótica e Automação pela Universidade de Coimbra. É o Editor do jornal “Robótica”. Autor de cinco livros na área da robótica e automação tendo publicado mais de 150 artigos científicos e tecnológicos.

Pub