VINHOS TINTO CASA DA ÍNSUA GRANDE RESERVA 2012 E TINTO COLHEITA 2014 CONQUISTAM MEDALHAS DE OURO EM BORDÉUS E LONDRES

por Rua Direita | 2017.05.26 - 15:39

 

 

O primeiro Grande Reserva Tinto da Casa da Ínsua acaba de ser galardoado com uma medalha de ouro no prestigiado concurso Challenge du Vin – CIVART 2017 que decorreu em Bordéus, França. Existente há mais de 40 anos, este concurso recebeu em 2017 mais de 4000 amostras de vinhos de todo o mundo, tendo o vinho da Casa da Ínsua obtido uma das melhores pontuações, permitindo ao júri atribuir-lhe a medalha de ouro.

Este vinho, o primeiro monocasta tinto da Casa da Ínsua, produzido exclusivamente com a casta Touriga Nacional das uvas cultivadas na premiada parcela da Casa da Ínsua, foi lançado em dezembro de 2016, após um estágio de 24 meses em barricas de carvalho francês novas, adquiridas para o efeito em França.

Numa edição limitada, este vinho é o primeiro tinto Casa da Ínsua com a designação de Grande Reserva, título qualitativo que lhe foi conferido pela câmara de provadores da Comissão Vitivinícola Regional do Dão após a sua apreciação e notação. As garrafas deste vinho têm um design exclusivo para os grande reserva da Casa da Ínsua.

O Vinho Tinto Casa da Ínsua Grande Reserva 2012 apresenta uma exuberância aromática com predominância de violetas e frutos do bosque, tendo um sabor com notas tostadas de barrica, taninos firmes e sólidos com rugosidade vegetal. Tem um teor alcoólico de 14% vol. É um vinho ideal para longos estágios em garrafeira, permitindo uma boa evolução organolética por várias décadas. É aconselhado para acompanhar pratos de carne complexos.

Entretanto, também o Vinho Tinto Colheita 2014 acaba de ser premiado com medalha de ouro no “IWSC – International Wine & Spirits Competition Trophy” que decorreu, em maio, na cidade de Londres. Produzido com as castas Touriga-Nacional, Tinta Roriz e Alfrocheiro, este vinho foi engarrafado em Dezembro de 2014 tendo estagiado ao longo de seis meses em barricas de carvalho americano e allier fino. Com um teor alcoólico de 14%, apresenta cor rubi intensa e densa, um aroma viscoso com nuances a cereja e especiarias, tendo um final de boca bem definido e longo. É um vinho que se apresenta pronto para ser consumido. Contudo, pode ser guardado por mais 10 anos. Pela elegância e frescura que oferece pedirá pratos de tempero e sabor igualmente elegante e complexo.

No mesmo concurso, a Casa da Ínsua viu ainda ser premiado com medalha de prata o Vinho Branco Colheita 2016, produzido com as castas Encruzado, Malvasia-Fina e Semillon, néctar que estagiou durante três meses em barricas de allier fino. O Vinho Branco Casa da Ínsua Colheita 2016 tem um teor alcoólico de 13.5% vol., de cor citrina, aroma mineral e vegetal e um sabor de grande complexidade estrutural e de elevada persistência final. É um típico vinho de guarda que se apresenta pronto para se consumir mas com elevado potencial de evolução na garrafa durante largos anos. Revela-se capaz de acompanhar pratos de peixe gordo e várias carnes brancas e vermelhas.

De referir, ainda, que este Vinho Branco Casa da Ínsua Colheita 2016 também foi galardoado com uma medalha de prata no concurso “Os melhores vinhos do Dão no produtor – Dão Primores – colheita 2016” promovido pela Comissão Vitivinícola Regional do Dão, cujos prémios foram entregues numa cerimónia que decorreu no Solar do Dão com a presença dos produtores e diversas entidades oficiais.

Estas quatro medalhas vêm engrandecer o já rico portefólio de prémios nacionais e internacionais da Casa da Ínsua, do Grupo Visabeira, onde se destacam distinções obtidas no Concurso Mundial de Bruxelas e na Vinalies, entre muitos outros prémios.

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub