Primavera tem mais encanto no Politécnico de Viseu

por Rua Direita | 2018.03.23 - 10:20

 

 

UM MOMENTO CULTURAL ÚNICO

Esfuziante, exaltante, vibrante, arrebatador, sublime

 

O Politécnico de Viseu foi palco, no dia 21 de março, de um esplendoroso momento cultural. Um evento único, no qual a ciência, as artes, a etnografia, a história e o património se harmonizaram em perfeita sintonia em forma de concerto, conferência e exposição na celebração de um novo tempo, do início da primavera.

A imponente Aula Magna do IPV encheu para celebrar a feliz união de música e ciência, em formato concerto-conferência. Sob o tema “O Tempo e os Tempos da Sagração”, a comunidade académica – professores, estudantes e funcionários – e o muito público que marcou presença no certame tiveram o privilégio de assistir a uma conferência de excelência proferida pelo professor Carlos Fiolhais, emérito físico, ensaísta e docente universitário. A reflexão científica, a contextualização histórica e cultural em que “a música de Stravinsky dialogava com as artes cénicas e com as artes visuais, numa obra de arte que se pretendia total. A arte e a ciência sofreram revoluções simultâneas no início do século XX, na obra do compositor russo na música e nos génios dos físicos Einstein e Niel Bohr na ciência”.

Pouco depois, a eclosão da primavera na arrebatadora performance da Orquestra Metropolitana de Lisboa (OML). Uma plateia deleitada assistiu a um concerto memorável, “A Sagração da Primavera”, do génio criativo de Igor Stravinsky, interpretada pelas Percussões da Metropolitana, numa transcrição para orquestra de percussão de Miguel Sobral Curado, com direção musical de Pedro Amaral.

O evento cultural do Politécnico prosseguiu com o muito público presente a visitar a magnífica exposição “Relógios de Sol de herança Árabe. Património material e imaterial”, que se encontra patente no foyer da Aula Magna até ao próximo dia 23. Depois de terem usufruído os trabalhos da mostra, os participantes tiveram ainda a oportunidade de assistir a quatro comunicações de excelência: “O Relógio de Sol e a Herança Árabe”, por Pedro Gomes de Almeida; “Legado e influência árabe em Viseu”, a cargo de Luís Fernandes; “Solstícios e Património”, da autoria de Liliana Castilho; e “Em torno do Sol”, com a assinatura de Alexandre Aibéo. Os relógios de sol e a sua evolução até ao início da idade média foram o leitmotiv de uma sessão inesquecível para o muito público presente. Centrado no legado árabe para estes objetos, viajou-se também pelas influências do período Românico. Explorando os hábitos culturais associados à construção dos relógios de Sol e explorando a íntima relação com o calendário e a marcação de solstícios e equinócios – o início das estações, que ainda hoje celebramos em momentos como o Natal e o São João. A terminar, a explicação científica e o significado astronómico desses momentos e como ela está, literalmente, gravada na nossa bandeira nacional.

O dia terminou com a celebração do Dia Mundial da Poesia com a sessão Biblioteca Poética, dinamizada pela biblioteca da ESTGV.

O evento, subordinado ao tema “Solstícios, Equinócios e Património”, faz parte do ciclo de encontros “Transversal”, promovidos pela Pró-Presidência do IPV para a Comunicação de Ciência e Promoção da Cultura Científica.

O Politécnico de Viseu pretende com estas iniciativas promover a vivência cultural e artística na população académica e incentivar o interesse pelas diversas expressões culturais e pela reflexão científica.

 

 

 

 

Alexandre Aibéo • Pró-Presidente do IPV para a Comunicação de Ciência e Promoção da Cultura Científica

Joaquim Amaral • Comunicação e Relações Públicas • IPV

 

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub