Os grandes Desafios que se colocam à gestão turística dos Sítios Património Mundial discutem-se em Coimbra

por Rua Direita | 2017.04.12 - 18:24

 

18-22 de abril| Convento  São  Francisco

 

Apontar caminhos e soluções para harmonizar, o mais possível, a difícil e por vezes conflituosa relação entre as práticas turísticas e a gestão do património, especialmente o património dos sítios classificados pela UNESCO, é um dos objetivos do 5º Congresso Internacional da UNESCO UNITWIN, intitulado “Identidade Local e Gestão Turística dos Sítios Património Mundial – Tendências e Desafios”, a decorrer entre os próximos dias 18 e 22 de abril, em Coimbra.

Promovido no âmbito da Rede Cultura, Turismo e Desenvolvimento do Programa de Cátedras UNESCO e organizado pela Universidade de Coimbra (UC) e Câmara Municipal de Coimbra, o congresso tem a sessão de abertura agendada para o dia 19 de abril, às 9h30m, no Convento São Francisco, e reúne mais de uma centena de especialistas de cerca de 40 países, entre os quais Argentina, Austrália, Brasil, China, EUA, Índia, Israel e Timor.

Ao longo de cinco dias, os participantes irão refletir e debater questões como o novo turismo e a relação com o património histórico material e imaterial – gastronomia, vinhos, religião, gestão de destinos e sustentabilidade em sítios património mundial, animação turística e eventos culturais, bem como as novas tecnologias na investigação e na gestão turística, gestão do património de influência portuguesa no mundo, rotas turísticas e paisagens culturais.

Não sendo pacífica a relação entre práticas turísticas e gestão do património, Fernanda Cravidão, chair do congresso e coordenadora da Cátedra UNESCO e da Rede UNESCO UNITWIN Cultura, Turismo e Desenvolvimento na Universidade de Coimbra, defende que é essencial «juntar os diversos responsáveis envolvidos, públicos e privados, tendo em vista a construção de modelos de gestão que contribuam para o desenvolvimento sustentável do turismo, sem comprometer a gestão do património, e permitam gerar processos que promovam a qualidade de vida das populações residentes».

Apontando o exemplo de Coimbra, a Catedrática da UC considera que o «crescimento turístico gerado pela classificação da Universidade, Alta e Sofia, em 2013, conduziu a novos desafios», alertando para a necessidade de a cidade, com todos os seu agentes, ter de «encontrar rapidamente soluções, que terão de ser permanentemente avaliadas porque o fenómeno turístico é dinâmico por natureza, capazes de garantir uma oferta turística de qualidade, diversificada, com segurança e que envolva toda a cidade. Por exemplo, é essencial que haja uma gestão equilibrada do tráfego na cidade, nomeadamente na Alta, caso contrário, a relação harmónica entre os visitantes e os residentes pode ser perturbada».

Entre os participantes do 5º Congresso UNESCO UNITWIN estão Luís Araújo, Presidente do Turismo de Portugal; Jin Y. Woo, Conselheiro do Secretário-geral da Organização Mundial de Turismo (UNWTO) para o Turismo e Cultura; Maria Gravari-Barbas, Coordenadora da Cátedra UNESCO Cultura, Turismo, Desenvolvimento da Université Paris 1 Panthéon-Sorbonne; Ana Martinho, Presidente da Comissão Nacional da UNESCO; Kirsti Kovanen, Secretária-Geral do ICOMOS; Hilary Du Cros, Coordenadora sénior de investigação no Observatório para a Investigação em Culturas Locais e Criatividade em Educação, UNESCO.

O programa completo do Congresso UNESCO UNITWIN está disponível em: http://unitwin2017.uc.pt/programa/.

 

O Programa de Cátedras UNESCO UNITWIN foi criado, em 1992, com o objetivo de promover a cooperação e interligação entre universidades, a nível internacional, para reforçar as capacidades institucionais através da partilha de conhecimento e do trabalho colaborativo.

 

A Rede UNITWIN envolve mais de 700 instituições em 116 países diferentes.

 

Declarações de Fernanda Cravidão, chair do congresso, aqui.

 

Cristina Pinto

AI UC Reitoria

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub