Lançamento de Livro sobre o Acidente ocorrido em Águeda em 1986

por Rua Direita | 2017.03.29 - 23:47

 

3 de abril| DEM| Polo II da UC

 

No próximo dia 3 de abril, pelas 17 horas, vai realizar-se, no auditório do Departamento de Engenharia Mecânica da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), o lançamento do livro intitulado “Cercados pelo Fogo em Águeda”, da autoria de Domingos Xavier Viegas.

 

A obra relata o acidente ocorrido durante um incêndio florestal, na noite de 14 de junho de 1986, no qual perderam a vida 16 pessoas: 13 Bombeiros das Corporações de Bombeiros Voluntários de Águeda e de Anadia e três Civis da região de Águeda.  É o resultado de mais de dez anos de investigação, envolvendo a audição de dezenas de pessoas, incluindo sobreviventes, familiares e pessoas que presenciaram os acontecimentos, ou que estiveram de alguma forma relacionados com eles, a visita aos locais em que o incêndio começou e se desenvolveu e o acidente ocorreu, e a reconstituição de alguns dos episódios mais significativos que marcaram este acidente. Procurou-se, pela primeira vez, reconstituir a sequência de eventos associados ao acidente, identificando cada um dos intervenientes, desde o causador do incêndio, aos vários grupos de Bombeiros e de Civis que foram atingidos pelo incêndio e que participaram no acidente.

 

O livro será apresentado por Paulo Sucena, Presidente da Mesa da Assembleia Geral da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Águeda.

 

 

O Livro

Neste livro, que é o quarto do Autor, com o mesmo título geral de “Cercados pelo Fogo”, descreve-se, com base em testemunhos, o ambiente natural e humano envolvente, e relata-se este acidente, que é um dos mais graves da história dos incêndios florestais em Portugal. Propõe-se retirar lições para o futuro e constituir uma homenagem a todos os envolvidos, em especial aos que nele tiveram um comportamento exemplar, e à memória dos falecidos.

Na noite de 13 para 14 de junho de 1986, mão criminosa colocou um foco de incêndio em Urgueira, uma pequena aldeia no limite do concelho de Águeda, na serra do Caramulo. Com vento superior a 90km/h o fogo desenvolveu-se com muita violência ameaçando uma vasta área de floresta e várias aldeias. Entre várias outras viaturas que responderam ao alarme dado, apesar das difíceis condições que havia, cinco das viaturas de Bombeiros e duas viaturas civis que acorreram em socorro de Avelal, tiveram de voltar para trás e foram surpreendidas pelo fogo na estrada N230. Esta coluna era constituída por 21 Bombeiros e quatro Civis. No turbilhão de fogo que se gerou, treze Bombeiros e três civis perderam a vida. Um Bombeiro sobreviveu com graves queimaduras, ao permanecer na viatura durante horas, com chamas em volta da estrada. Um grupo de oito elementos salvou-se ao fugir da estrada em direção ao Rio Águeda, tendo permanecido mais de três horas dentro de água.

Este livro é o resultado de mais de dez anos de investigação, que envolveram a audição de dezenas de pessoas, incluindo sobreviventes, familiares e pessoas que presenciaram os acontecimentos, ou que estiveram de alguma forma relacionados com eles, a visita aos locais em que o incêndio começou e se desenvolveu e o acidente ocorreu, e a reconstituição de alguns dos episódios mais significativos que marcaram este acidente. Procurou-se, pela primeira vez, reconstituir a sequência de eventos associados ao acidente, identificando cada um dos intervenientes, desde o causador do incêndio, aos vários grupos de Bombeiros e de Civis que foram atingidos pelo incêndio e que participaram no acidente, para que seja registada a sua memória. Apesar dos mais de trinta anos passados, existem lições que se podem retirar deste acidente, que foi um dos mais marcantes para a vida e história dos Bombeiros Portugueses.

O Autor

Domingos Xavier Filomeno Carlos Viegas é professor catedrático do Departamento de Engenharia Mecânica da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra. Desde 1990 preside à Associação para o Desenvolvimento da Aerodinâmica Industrial, unidade do sistema científico nacional, e ao seu Centro de Estudos sobre Incêndios Florestais, tendo-se dedicado à investigação aplicada e à formação superior na temática dos incêndios florestais. Participou em mais de 80 projetos de investigação, com o apoio de entidades nacionais e estrangeiras e em colaboração com instituições de diversos países. Promoveu a criação do Laboratório de Estudos sobre Incêndios Florestais e é autor de um grande número de artigos científicos, palestras, relatórios e pareceres judiciais. Recebeu em 2017 o prémio internacional Fire Safety Award, pela contribuição dada, através da investigação e da formação, à melhoria da segurança no combate aos incêndios florestais.

 

 

 

 

 

 

 

Cristina Pinto

AI UC Reitoria

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub