Éder apadrinha a Plataforma de Apoio a Jovens (ex)Acolhidos

por Rua Direita | 2017.04.23 - 12:19

A comemorar o primeiro ano de vida, a PAJE – Plataforma de Apoio a Jovens (Ex)Acolhidos, criada por um investigador da Universidade de Coimbra, foi apadrinhada pelo Éder, jogador de futebol da Seleção Nacional que marcou o golo que deu o título de Campeão Europeu a Portugal.

 

 

A PAJE – Plataforma de Apoio a Jovens (Ex)Acolhidos, uma associação sem fins lucrativos, criada pelo investigador da Universidade de Coimbra (UC) João Pedro Gaspar, para apoiar jovens com historial de acolhimento residencial, está a assinalar o seu primeiro aniversário.

A Plataforma funciona totalmente com base no voluntariado, angariando fundos através de bem-feitores, campanhas e eventos, e no apoio de mais de uma centena de associados, sendo que o número 100 é o Éder, jogador de futebol da Seleção Nacional que marcou o golo que deu o título de Campeão Europeu a Portugal e que, tendo também ele sido acolhido na infância, sempre manteve a amizade com o professor, levando-o a apadrinhar a PAJE.

Atualmente, a Plataforma apoia mais de 70 jovens e, embora todos eles muito díspares, o trabalho «pauta-se pela singularidade, personalização e ajuste às características de cada jovem e das suas necessidades. Estes casos divergem desde apoios de emergência (alimentação, vestuário e alojamento, etc.), de necessidades pontuais (por exemplo, assuntos burocráticos) até à necessidade de acompanhamento a vários níveis (psicológico, aconselhamento e outros)», conta João Pedro Gaspar.

«A Plataforma promove a autonomia através do desenvolvimento de competências profissionais, sociais e emocionais, o que já permitiu a inserção profissional e em cursos de formação profissional de vários dos jovens apoiados», nota o responsável da PAJE.

O investigador da UC refere ainda que a PAJE também trabalha «junto das Casas de Acolhimento, com os jovens em pré-autonomia e com os cuidadores (técnicos e auxiliares). Este trabalho visa apoiar os cuidadores no desenvolvimento das suas tarefas enquanto profissionais e na vertente humana/pessoal. Já foi feita uma primeira intervenção em 12 Casas de Acolhimento a nível nacional, estando a ser ultimado um programa de âmbito mais abrangente, embora atendendo às especificidades de cada Casa».

Para assinalar o aniversário e simultaneamente divulgar o seu trabalho e angariar fundos, a PAJE vai promover várias atividades. No próximo dia 28 de abril, realizam-se, na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra (FPCEUC), as primeiras jornadas sob o mote “Vivenciar, Partilhar, Sorrir”.

Será um dia dedicado à divulgação e partilha prático-científicas através da participação e interação de oradores de prestígio, conhecedores do tema, contando ainda com o testemunho de jovens ex-acolhidos.

Seguem-se duas caminhadas (27 de maio nos Passadiços do Paiva e 18 de junho no Baixo Mondego), uma sessão de cinema ao ar livre no Mosteiro de Stª Clara-a-Velha, com a colaboração da Fila K Cineclube, no dia 3 de junho, e um concerto solidário levado a cabo pelo Conservatório Regional de Coimbra, no auditório da Escola Superior de Tecnologias da Saúde.

Serão ainda realizados quatro cursos: “Cuidados de Saúde à Criança”, “Cuidados de Saúde ao Idoso”, “Suporte Básico de Vida” e “Candidatos a Cuidadores de Crianças e Jovens em Casas de Acolhimento”. A PAJE participará também em eventos como a “Noite Branca”, a “Queima das Fitas” e Feiras Culturais.

Por forma a possibilitar uma participação ativa de pessoas que têm menos tempo, foi criada a figura de “voluntário pontual”, visando a colaboração em eventos e atividades pontuais.

As informações e novidades da PAJE estão disponíveis no Facebook (https://www.facebook.com/PlataformadeApoioJovensExacolhidos) e no website (http://www.paje.pt).

 

 

 

 

Cristina Pinto

AO UC Reitoria

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub