Departamento de Engenharia Civil ESTGV|IPV celebra 25 anos de atividade

por Rua Direita | 2018.05.04 - 09:18

 

 

O Departamento de Engenharia Civil (DEC), da Escola Superior de Tecnologia e Gestão (ESTGV), do Instituto Politécnico de Viseu, comemora no ano letivo 2017/2018, 25 anos de atividade. A principal missão do DEC, neste quarto de século, foi sempre formar profissionais aptos a desempenharem funções em todas as áreas da engenharia civil e ainda contribuir para o desenvolvimento socioeconómico da região.

 

No âmbito das comemorações do 25.º aniversário, o DEC organiza um vasto conjunto de eventos – Jornadas Técnicas/Dia do DEC 2018 – abertos a toda a comunidade, i.e., alunos, ex-alunos, técnicos e profissionais do setor da construção.

As Jornadas Técnicas iniciam-se no dia 7 de maio, a partir das 14.30h, no Anfiteatro 2 da ESTGV, com a “Associação de Produtores de Tubos e Acessórios”. No dia seguinte, 8 de maio, desta feita no Auditório da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu, sessão dupla: na parte da manhã, pelas 9.00h, é a vez da “Repsol Asfaltos de Portugal”, à tarde, cerca das 14.30 horas, espaço concedido à “Portugal Steel”.

O Dia do DEC 2018, intitulado “25 Anos do DEC”, decorre na manhã do dia 9 de maio, a partir das 9.30h, no Auditório da ESTGV, com a sessão de abertura, seguindo-se as palestras, que têm com oradores o eng.º Renato Bastos (Adão da Fonseca – Engenheiros Consultores, Lda.), com a sua apresentação a versar a “Evolução das Estruturas de Engenharia Civil: Passado, Presente e Futuro”; e o eng.º Ugo Bernardinelli (ASCENDI), com o tema “Sistemas de Gestão de infraestruturas Rodoviárias”. Na parte da tarde, o Diretor de Departamento apresenta o tema “O DEC – Passado, Presente e Futuro”, seguindo-se a comunicação a cargo do professor Luís Vasconcelos, docente do DEC, “Das rotundas convencionais às turbo-rotundas”, no âmbito do “Viseu Capital Jovem da Segurança Rodoviária”. Após a entrega dos prémios de Melhor Aluno, realizam-se ainda apresentações por parte de ex-alunos, subordinadas ao tema “Vivências e Sucessos Profissionais”.

 

Mais informação e inscrições, gratuitas mas de validação obrigatória, em:

25 Anos – Departamento de Engenharia Civil

 

Contactos: Departamento de Engenharia Civil | Escola Superior de Tecnologia e Gestão | Campus Politécnico de Repeses | Tel.: +351 232 480 586

 

 

25 ANOS A FAZER HISTÓRIA:

No ano letivo de 2017/2018, o Departamento de Engenharia Civil (DEC), da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu (ESTGV), do Instituto Politécnico de Viseu (IPV), celebra os seus 25 anos de existência.

No ano letivo 1993/1994, o DEC inicia a sua atividade oferecendo um curso de Bacharelato em Engenharia Civil, portaria 1185/93, de 12 de novembro. Passados três anos, o primeiro plano de estudos do curso de Bacharelato em Engenharia Civil é reformulado – portaria 685/96, de 21 de novembro.

Em 1999/2000, entra em funcionamento o curso de Licenciatura Bietápica em Engenharia Civil – portaria 449/99, de 19 de junho. A conclusão do 1.º ciclo atribui o grau de bacharel e a conclusão do 2.º ciclo, o de licenciado.

Em 2006/2007, o processo de Bolonha vem adequar o curso de Licenciatura em Engenharia Civil a Bolonha, pelo despacho 14835-CQ/2007, de 9 de julho, e depois alterado pela declaração de retificação 179/2010, de 29 de janeiro. O curso de Licenciatura Bietápica em Engenharia Civil, sobreposto ao de Bolonha, cessa após a conclusão dos seus ciclos. As formações passam a ser diferenciadas pelos números de ECTS e pela designação de pré ou pós Bolonha. Os alunos bacharéis correm em massa à escola para atualizarem o seu título académico. Decorridos 2 anos após a última publicação, o curso de Licenciatura em Engenharia Civil é reformulado despacho 6479/2012, de 15 de maio.

Em 2009/2010, o processo de Bolonha permite a entrada em funcionamento de cursos de mestrado em instituições politécnicas caso estas satisfaçam determinados critérios, sendo o mais relevante o número de doutorados. O DEC tendo estado atento a todo o processo de Bolonha apresenta um corpo docente com o número necessário de docentes doutorados. O curso de Mestrado em Engenharia de Construção e Reabilitação entra em funcionamento em 2009/2010, despacho 19672/2009, de 26 de agosto. Nos anos seguintes o seu plano de estudos sofre duas alterações, uma em 2012, despacho 6480/2012, de 15 de maio – e outra em 2016, despacho 7987/2016, de 17 de junho.

Paralelamente a estas duas formações clássicas, em 2010/2011, entra em funcionamento o curso de Especialização Tecnológica em Condução de Obra, despacho 19747/2008, de 24 de julho – cessando em 2015/2016. Em 2015/2016 entra em funcionamento o curso de Técnico Superior Profissional em Modelação e Gestão do Espaço Urbano, aviso 618/2016, de 21 de janeiro de 2016. Em 2017/2018 entra em funcionamento o curso de Técnico Superior Profissional em Desenho e Modelação Digital – aviso 5447/2018, de 23 de abril de 2018.

Para além das formações em funcionamento enunciadas anteriormente, o DEC disponibiliza mais duas formações ao nível dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais, nomeadamente, em Reabilitação e Conservação de Edifícios, aviso 14721/2016, de 21 de novembro – e em Eficiência Energética nos Edifícios – a aguardar publicação em DR.

Formações de curta duração também são disponibilizadas, e.g., entre outras, em 2007/2008 e 2008/2009 é dada a formação para peritos qualificados no âmbito do Sistema de Certificação Energética (SCE), novo Regulamento das Características de Comportamento Térmico dos Edifícios (RCCTE), em 2013/2014 é dada formação em Pavimentos e em Geotecnia para o grupo Sonangol, e em 2017 em Building Information Modelling (BIM).

Para atender às dificuldades dos alunos nas áreas da Matemática e da Física o DEC, com o apoio da ESTGV, disponibiliza aulas de apoio no final do dia.

Facilmente se depreende que o trabalho desenvolvido ao longo destes anos por todos os docentes que lecionam no DEC – quer ao nível da preparação constante de novos conteúdos para as novas unidades curriculares; na evolução das suas formações académicas; quer ao nível da gestão, investigação ou da prestação de serviço ao exterior – é notável.

Se se atender às agências oficiais de acreditação dos cursos, nacionais ou europeias, pode-se afirmar que estas corroboram a afirmação anterior. Os cursos de Licenciatura em Engenharia Civil e de Mestrado em Engenharia de Construção e Reabilitação são acreditados, pelo seu período máximo, pela Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior (A3ES) e estão incluídos no INDEX da FEANI – Federação Europeia de Associações Nacionais de Engenharia. Por outro lado, os diplomados têm acesso às duas associações profissionais, a recente Ordem dos Engenheiros Técnicos, antiga Associação dos Engenheiros Técnicos, e a Ordem dos Engenheiros.

Ao nível da investigação, um número significativo de docentes pertence a centros de investigação associados a universidades portuguesas, nomeadamente, Instituto de I&D em Estruturas e Construções (FEUP); Centro de Investigação do Território, Transportes e Ambiente (FCTUC/ FEUP); Institute for Sustainability and Innovation in Structural Engineering (UM/FCTUC); Investigação e Inovação em Engenharia Civil para a Sustentabilidade (UL/IST) e Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores de Coimbra (FCTUC); com o propósito de continuar a investigação realizada no doutoramento ou desenvolver novos projetos de investigação quer através de projetos da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), quer através de projetos de outras entidades. O número médio de publicações por ano, da última década, é de 28, dos quais 8 são em revistas internacionais.

Para apoiar a comunidade empresarial da região, o DEC faz prestações de serviço ao exterior através dos seus laboratórios, nomeadamente os Laboratórios de: Física das Construções, Geotecnia, Transportes e Vias de Comunicação, Materiais de Construção, e Resistência de Materiais e Estruturas. Estes cinco laboratórios, juntamente com outros três, nomeadamente, o de Cálculo Automático, Hidráulica e Recursos Hídricos, e o Centro de Estudos de Planeamento e Urbanismo permitem dar apoio às atividades pedagógicas.

O DEC, com o apoio da ESTGV e do IPV, tem superado todos os desafios legislativos, tem conseguido fazer face ao reduzido número de candidatos ao ensino superior, ao nível da Licenciatura em Engenharia Civil, e tem conseguido fornecer aos seus alunos uma formação de excelente qualidade. Os ex-alunos agora no mercado de trabalho são prova disso mesmo.

Os 25 anos passaram e são agora a prova para o futuro. A prova de que é um Departamento com capacidade para enfrentar qualquer desafio, seja ele de natureza legislativa, pedagógica, científica, ou de outro tipo.

A dissipação da crise está aí e espera-se uma melhoria significativa no trabalho na área da Engenharia Civil. A consulta de alguns portais sobre ofertas de emprego mostra uma procura considerável nesta área.

 

Gilberto Rouxinol | Diretor do Departamento de Engenharia Civil ESTGV|IPV

Joaquim Amaral • Comunicação e Relações Públicas IPV

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub