Balanço da iniciativa VOLTA e do projeto ALTO MONDEGO REDE CULTURAL

por Rua Direita | 2019.08.27 - 21:53

A iniciativa VOLTA terminou e passou pelos quatro municípios que promovem o projeto: Nelas (21 de junho), Mangualde (17 de julho), Gouveia (7 de agosto) e Fornos de Algodres (16 de agosto).

Ficam aqui os testemunhos dos presidentes da câmara de todos os municípios inseridos neste projeto:

Tenho me surpreendido, desde que sou presidente de Câmara, há seis anos, com algumas criações de muitíssima qualidade, aliás, surpreendente qualidade, feitas com pessoas que já dão o seu contributo nas associações, ranchos, bandas e grupos locais. Vem um encenador, alguém profissional, e retira beleza, movimento e surpresa daquilo que já lá está. É muito gratificante ver transformarem aquilo que é a dança tradicional, a nossa etnografia centenária, num espetáculo do século XXI. Foi, de facto, um espetáculo maravilhoso!

José Borges da Silva

Presidente C. M. Nelas

VOLTA é um projeto muito importante para o território, organizado e preparado por nós, Fornos de Algodres, Nelas e Gouveia. Mas mais do que a criação saliento o envolvimento das pessoas, a transformação da tradição, daquilo que é uma cultura e um património nossos, num projeto diferente, mais animado. A etnografia e o folclore da região estão muito bem representados pelas mulheres e homens destes quatros concelhos.

João Azevedo

Presidente C. M. Mangualde

Esta VOLTA veio comprovar que as gentes destes concelhos, se desafiadas, elas conseguem unir-se e partilhar amizades e sentimentos num palco. Formou-se um grupo unido e coeso. Muitos parabéns a todos os ranchos folclóricos destes municípios e a todos aqueles que desenvolveram e apoiaram este trabalho fantástico. As pessoas aderiram, e está aqui um espetáculo que deve ir para fora da rede.

Luís Tadeu Marques

Presidente C. M. Gouveia

O balanço é bastante positivo. Temos aqui concelhos de comunidades intermunicipais diferentes e foi possível fazer este espetáculo. Une-nos aqui um símbolo, que é o Rio Mondego, mas eu acho que isto pode ser o início de outros projetos, não só em termos culturais, mas noutras áreas. É importante que os municípios ultrapassem fronteiras, e que se possam continuar a fazer trabalhos como estes. 

Manuel Fonseca

Presidente C. M. Fornos de Algodres

VOLTA é um projeto de pesquisa e criação coreográfica que pretende ligar a dança contemporânea às danças tradicionais do Alto Mondego e se desenvolve nos Municípios de Fornos de Algodres, Gouveia, Mangualde e Nelas. A iniciativa procura criar conexões entre as entidades locais que fomentam a prática de dança tradicional, como ranchos folclóricos e coletividades, e profissionais de dança contemporânea, reconhecidos pela sua experiência e qualidade no desenvolvimento de trabalhos com a comunidade.

O projeto tem como principais objetivos a criação de um objeto artístico com pertinência no contexto atual das artes performativas, e a valorização das populações, tradições e culturas autóctones aproximando-as do meio da arte contemporânea. Para isso salienta-se o trabalho de identificação, documentação e comparação dos vários tipos de dança tradicional dos territórios, com o intuito de recuperar e preservar o seu património, e o recurso a parcerias com escolas de dança, universidades, associações e grupos locais, que farão o acompanhamento do projeto na sua vertente teórica e prática.

INFORMAÇÕES ADICIONAIS

O projeto ALTO MONDEGO’ rede cultural, promovido pelos Município de Nelas, Fornos de Algodres, Gouveia e Mangualde, consiste numa parceria de oferta cultural destinada à valorização integrada do rico património do Alto Mondego, denominador comum aos quatro concelhos. A iniciativa pretende posicionar este território como um destino singular, criativo e atrativo, capaz de captar fluxos turísticos significativos.

Assim, as entidades envolvidas estão empenhadas em formar uma verdadeira rede de partilha e intercâmbio cultural sustentável e duradoura e que possibilite a proteção, promoção e valorização dos ativos histórico-culturais associados ao território, aos agentes locais e ao Mondego, bem como dos seus ativos naturais e paisagísticos.

O projeto ALTO MONDEGO’ rede cultural é fruto de uma candidatura financiada destes 4 municípios ao) do Centro 2020 e Portugal 2020.

O programa de atividades incide em três diferentes temáticas:

2018: Iniciativa música “MUNDOS CRUZADOS” – projeto de afirmação de um pensamento de pertença ao local, a partir da memória dos filarmónicos enquanto forma de expressão dessa mesma pertença; 2019: Iniciativa dança “VOLTA” – projeto de pesquisa e criação coreográfica a partir da dança tradicional e da dança contemporânea; 2020: Iniciativa multidisciplinar “ALTO” – projeto de afirmação do Alto Mondego através de produções artísticas de obras integrais de teatro musical, com forte dimensão técnica. Paralelamente, decorre ainda a Iniciativa Transversal – Animação do ALTO MONDEGO’ rede cultural onde serão trabalhados grupos locais na área da música, dança e teatro, com coordenação artística, para a construção de pequenas produções, que estarão disponíveis para itinerância nos quatro municípios.

Carlos Costa

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub