Sobrado à presidência…

por Paulo Neto | 2017.08.14 - 12:29

 

 

 

O compadre Zacarias que é um homem muito dado a tertúlias de “boteco” veio com a conversa de que se consta andar a distrital do PSD muito preocupado-deprimida…

E porquê?

Diz ele que a nomeação do “grande” Jorge Sobrado para número 4 ou 5 de Almeida Henriques – um páraquedista que só ele bem conhece desde que o teve como assessor na secretaria de Estado que efemeramente integrou – é o trabalho primicial e de sapa para o seu lançamento como “star” política a brilhar nos céus de Viseu. Ou seja, segundo o compadre e o que por aí ouviu, Almeida tira Sobrado das funções de “chega-me isso” para e daqui a 4 anos o puxar para o lugar do Seixas de Sernancelhe e, 4 anos após, Almeida com a limitação de mandatos e um olhar no rotativismo governamental, apresentar o dito “chega-me isso” de hoje como seu sucessor e candidato à CMV, pois entretanto dar-lhe-á muito do dinheirinho dos impostos pagos pelos munícipes para o fazer brilhar com centenas de festarolices e afins, e o homenzinho acabará por cair no goto dos viseenses que não desdenham o “Coliseu”. Ademais, deixará no seu lugar um provável “irmão siamês”, o que não é despiciendo…

Por seu turno, Ruas, mandado calar por Passos Coelho, daqui a 4 anos ainda terá vitalidade/validade para ir à luta? Ou, esse tempo escoado, já ninguém se lembrará dele? Todavia, certo será que esta hipótese de ter Sobrado como seu hipotético sucessor, muita urticária lhe causará…

Pedro Alves, por seu turno, vê aqui e também cerceada qualquer eventual estratégia de pugnar pela autarquia viseense. Jovem como é e tão apegado à política, circunscrever-se-á a deputado, até quando, se a distrital mudar?

Daí, talvez o mal-estar que começa a reinar neste órgão… Depois da concelhia de Viseu ter sido “ganha” pelo apaniguado Seixas de Sernancelhe, a próxima a ganhar será a distrital ou, então, Pedro Alves submete-se e rende-se ao Sobrado e ao “amigo” de agora, Almeida Henriques, ciente de que em política 4 anos é uma infinidade de tempo.

A oposição terá uma palavra a dizer e essa palavra caberá ao PS, à CDU e ao BE… se conseguirem alento e vitaminas para tal.

Quanto ao CDS-PP, fruto da política de “oportunidade” (é o eufemismo mais soft encontrado) seguida por Hélder Amaral e perante a mediocridade das propostas que apresenta – quando e se apresenta – em breve deixará de existir no distrito de Viseu. Hélder já merece um Viriato de Ouro. Até pode ser o que Ruas recusou…

 

(foto DR)