O “mini Trump” de Viseu

por Paulo Neto | 2019.01.28 - 15:35

 

Donaldo Trump, o patético presidente dos Estados Unidos da América, faz chantagem com o povo, a administração pública, os democratas e etc., por não lhe darem a luz verde para a construção do novo “muro de Berlim” na fronteira com o México, com um “shutdown” de 35 dias, por ora interrompido mas a continuar em breve, diz ele.

Em Viseu, Almeida Henriques, faz o seu “little shutdown“, à sua ínfima dimensão, votando contra a transferência de competências para a CIM Viseu Dão Lafões o que, de entre os 100 municípios da zona centro de Portugal, faz deste autarca um pioneiro avant-gardiste.

Já há quem se questione se não se trata de mais uma “birra”, pois ninguém ignora que o cerne do problema poderá estar no facto de os outros 13 municípios desta CIM o rejeitarem liminarmente como presidente.

O que e a nosso ver, é uma muito sensata decisão, pois se Almeida Henriques fosse gerir a CIM Viseu Dão Lafões como tem gerido a Câmara Municipal de Viseu, as consequências poderiam, a breve trecho, ser calamitosas.

Entretanto, este “shutdown” local pode vir a ser uma machadada de consequências irreversíveis para o desenvolvimento deste território, factor ao qual Almeida Henriques parece completamente alheado, mais parecendo estar a “borrifar-se” para a intermunicipalidade que, se em alguns casos de conveniência foi “adredemente” advogada, como o caso das Águas de Viseu, para outros é negada, como se de uma triste e mesquinha vingança se tratasse.