Lideranças frouxas e pouco solidárias. Em Aguiar da Beira, Joaquim Bonifácio está só?

por Paulo Neto | 2018.10.12 - 12:07

 

Quando os CTT quiseram encerrar balcões nos 19 municípios do Douro integrantes da CIM Douro, a sua direcção e os seus autarcas uniram-se e solidários com os seus munícipes reagiram em bloco contra essa atitude unilateral e prepotente, lesiva de populações do interior já e de per si muito desfavorecidas.

Agora, em Aguiar da Beira, a “peste viral” continua e Joaquim Bonifácio, o autarca local, afirma em comunicado que “foi informado pela Coordenação Retalho do Norte da empresa CTT que a Loja CTT de Aguiar da Beira, sediada na sede do concelho, e a única existente, vai ser transformada em Posto CTT dentro de um mês”. O autarca reagiu e afirmou que “não aceita e repudia o encerramento”. E muito bem. Pena é, lastimável e lamentável sendo que, a CIM Viseu Dão Lafões que Aguiar da Beira integra, não tenha até ao presente vindo a público, num gesto de solidariedade e de pressão, unir-se contra a arrogante unilateralidade da atitude dos CTT.

As lideranças frouxas dão estes resultados. Os “peralvilhos”, que não falham asinho aos festins, são menos lestos em lutar pelos direitos dos seus pares, compactuando surdamente com todas as atitudes, sejam elas mais ou menos lesivas do território e da população. Provavelmente, pode ser que um dia a “peste” lhes bata à porta e que encontrem da parte daqueles com quem não exerceram a união solidária… a recíproca singularidade de um “manguito”.

Bertolt Brecht bem o escreveu:

Primeiro levaram os negros
Mas não me importei com isso
Eu não era negro

Em seguida levaram alguns operários
Mas não me importei com isso
Eu também não era operário

Depois prenderam os miseráveis
Mas não me importei com isso
Porque eu não sou miserável

Depois agarraram uns desempregados
Mas como tenho meu emprego
Também não me importei

Agora estão me levando
Mas já é tarde.
Como eu não me importei com ninguém
Ninguém se importa comigo.

A CIM Douro, perante idêntica atitude e conforme oportunamente noticiámos, reagiu de imediato, em bloco, interpondo uma providência cautelar contra os CTT, que deu entrada no Tribunal Administrativo e Fiscal de Mirandela, visando impedir o encerramento de vários balcões, conforme decisão da administração dos CTT, oportunamente noticiada e causa de polémica e indignação em todo o território abrangido por essa medida.
No entendimento das consequências inevitáveis sobre uma população do interior desfavorecida e envelhecida, os autarcas dos 19 municípios decidiram tomar essa comum decisão.

Sem lembrarmos a lástima que foi a privatização dos CTT, num abandono e laxismo negocial que não cuidou de acautelar as situações ora emergentes. E vai a procissão no adro.

Havia um filme intitulado “Les uns et les autres” do realizador francês, Claude Lelouch, que bem evidenciava a dualidade comportamental dos indíviduos.

A CIM Viseu Dão Lafões podia revê-lo…

LES UNS ET LES AUTRES, James Caan (right) 1981. ©TF1