Jantar Equestre na Quinta Madre de Água, em Gouveia: um êxito total…

por Paulo Neto | 2017.05.21 - 00:21

 

Não me lembro de ter escrito em mais de 1500 editoriais, dois ou três sobre um evento gastronómico. Neste caso não resisti à tentação e aqui vo-lo deixo com o prazer de quem teve o ensejo de dele integralmente fruir…

Já há muito conhecíamos o acolhedor restaurante e o hotel rural inserido neste magnífico espaço que, com as outras três propriedades afins, num total de 60 hectares, produz alguns dos mais renomados vinhos nacionais, queijo da Serra DOP e azeites de reputada qualidade.

Desta feita, Lurdes Perfeito, também uma apaixonada e conhecedora de cães e cavalos, decidiu proporcionar um jantar-espectáculo equestre que decorreu no picadeiro da casa com alta galhardia, muito “donaire” e finíssima gastronomia.

 

O evento que contou com a participação de Luís Tadeu, o presidente da Câmara Municipal de Gouveia e seu vice-presidente, foi orquestrado na sua dualidade pelos Chefs A. Batista e Paulo Cardoso, respectivamente da Madre de Água e Casa da Ínsua e pelo cavaleiro da “casa”, o jovem Nuno, que encantou todos os presentes com a graciosidade da sua performance de “dressage”, fazendo evoluir os diversos equídeos puro-sangue lusitano nos mais diversos passos de alta escola, ao som de adequada música céltica e à luz de candelabros.

Entretanto, depois do “welcome drink”, com um Experimentum Rosado 2016, já à mesa e em pleno picadeiro, os experientes Chefs, bem acolitados por alunos da Escola Profissional, deram largas à sua criatividade começando com um couvert designado “Confronto de Titãs” que, e em prova cega, nos deu a degustar azeites diferenciados acompanhados com Madre de Água, Touriga Nacional, 2012.

 

O “amuse bouche” que se lhe seguiu trouxe à mesa um “Encontro com dois”, ou seja, uma prova de duas texturas de queijo Quinta Madre de Água DOP.

A “entrada” apresentou-se “Com o Rei dos Mares”, um aveludado de lavagante com Experimentum, Colheita Branco 2016.

Entretanto, para aliviar os palatos de toda esta imensa carga gustativa-emotiva, provou-se um sorbet de vinho tinto.

O prato de peixe trouxe-nos “Godus Morhua”, o rei dos portugueses, esparguete de tubérculo e pétalas de bruxelas. Acompanhou com Experimentum, Encruzado 2016.

O prato de carne veio “Das montanhas de Portugal”, com o “cabrito descontruído”, servido com Experimentum, Tinto 2014.

Finalmente, a sobremesa proporcionou um “Devaneio a dois” acompanhado de Madre de Água, Touriga Nacional 2011.

Durante todo o apreceituado repasto, o cavaleiro Nuno fez evoluir alguns dos seus jovens alunos nos diversos equídeos da casa, com predominância de sementais ferro Ortigão Costa. Ao fim das exibições e na culminância desta “arte de bem cavalgar”, Nuno proporcionou aos presentes um difícil exercício, efectuado na penumbra e com jactos de fogo e luz por entre os quais, arrojadamente, fez evoluir com mestria e arte a sua montada.

 

Lurdes Perfeito, a mão experiente da proprietária esteve como uma maestrina a reger toda esta sublime orquestração, naquilo que é uma proposta pioneira, inédita no nosso território – quem se lembra ainda do Mestre Valença que na década de 90 trouxemos a Viseu? – juntando a fruição da fina mesa com a nobreza hípica dos PSL, mostrando sem equívocos que Gouveia é uma cidade do interior a ombrear na sua oferta turístico-gastronómica com aquilo que de melhor se faz em Portugal.

À “maestrina” a nossa reverência. A opinião dos presentes entre os quais se encontravam também alguns ingleses e alemães era de um total unanimismo na sagração…

Esta proposta deve repetir-se e tornar-se um dos ex-libris referenciais da acolhedora cidade gouveense