Hélder Amaral: “A capacidade de liderança não existe em Viseu” …

por Paulo Neto | 2018.05.04 - 10:44

 

 

E nós assinamos por baixo…

Numa entrevista concedida a um média local, o deputado Hélder Amaral ressurge na luta com palavras duras e sábias. Tirámos algumas, que aqui deixamos à consideração do leitor:

Viseu tem uma enorme importância para o país” mas “tem um problema interno”… “o que impede Viseu de ser relevante chama-se ciência. Não tem massa crítica nem liderança. A capacidade de liderança não existe em Viseu.”

E acrescenta “isto tem a ver com ciência e falta de matéria prima” – nós até acrescentaríamos, e nessa onda, falta de “matéria prima cinzenta”.

Entende que nos falta “inovação e imaginação para vingar”, isto apesar das milhentas iniciativas da AIRV, que investiu nos últimos vinte anos milhões comunitários na formação, da CIM Viseu Dão Lafões capitaneada por autarcas ausentes e um secretário executivo top ten, no dizer de alguns, todavia e até prova em contrário, só um mero funcionário de nomeação política herdado do Carlos Marta ad perpetuum.

Hélder Amaral apouca a intervenção do IPV e do ensino superior privado (referir-se-á à Universidade Católica e ao Instituto Piaget), falando em “falta de imaginação para vingar” e elencando como exemplos “a importância da UTAD”; “a Covilhã e a Universidade da Beira Interior”; a “Universidade do Minho” e a “Universidade de Aveiro” para concluir que “o que falta a Viseu é excatamente a ciência que cria excelência, a estupidez… só com sorte”.

Deixa o recado: “se os actores se preocupassem menos com a pequena política e o interesse partidário…

E deixa o conselho: “Captar massa crítica, emparedados entre as serras, o que limita o horizonte, precisamos de pessoas que nos permitam ver para além do óbvio e das serras…

O saber tem feito muita falta em Viseu” é a derradeira e lapidar frase.

O que quererá, afinal, Hélder Amaral, enfim desperto e combativo, significar com tudo isto?

Que o Ensino Superior público e privado existente é de 3ª qualidade?

Que os políticos locais são de meia tigela, ignorantes e limitados?

Que não conseguimos gerar massa crítica, massa cinzenta capaz? E então Viseu não é a Meca das Smart Cities?

Viseu tem falta de liderança?

De facto é o que temos vindo a dizer e ainda bem que um político experiente como Hélder Amaral o reitera. Basta analisar ao pormenor as políticas de Almeida Henriques & Sobrado, para não precisarmos de ir mais longe…

Resta perguntar-lhe, meu caro Hélder, que soluções propõe para superar, transcender e ultrapassar este cenário pantanoso que nos traça da cidade maravilha?