Da “insolvente” Expovis à bem sucedida Viseu Marca

por Paulo Neto | 2016.09.12 - 14:35

 

 

Almeida Henriques da CMV e o seu grande amigo de peito Carlos Marta, da AIRV, os donos da Feira de S. Mateus festejarão com “Terras do Demo” bem fresco o milhão de visitantes do recinto, novinho em trinque, desde que a Viseu Marca a ganhou da “insolventeExpovis, fazendo dela coisa de incomensurável sucesso.

Almeida Henriques tem este toque de Midas, esta capacidade “estracassante” de pegar em empresas “falidas” e as tornar em study cases de inquestionável sucesso. E aqueles que forem incrédulos como S. Tomé, que precisou de tocar e ver as chagas de Cristo para nelas crer (João 20:24-29, Novo Testamento), podem estar quedos com as mãos e piamente, de olhos cerrados, acreditar nesta dupla a quem o êxito trata por tu.

Ou será uma tripla?

sao-tome

 

O que Almeida Henriques não consegue afinar – pudera, com tantos milhões em que pensar – é a recolha do lixo urbano.

 

20160908_123515

Aqui, nas imagens, captadas hoje, ao lado de um triste contentor de pernas para o ar e do seu posto transladado há mais de uma semana, funcionários cuidam, impávidos, do ecoponto junto à Rotunda do Campo de Futebol, do Vildemoinhos.

20160912_113332

Convenhamos… não há-de ser fácil tratar de minudências, quando na sua praxis quotidiana até o Estado parece ser…

 

(fotos dos contentores de PM, foto de Marca Viseu do DV)