A Federação do PS tem que ter Borges?

por Paulo Neto | 2017.07.15 - 13:03

 

 

Há uma música brasileira dos anos 50, “Tem que ter mulata”, que me lembrou o comendador-administrador das Águas do Douro e Paiva, António Borges, presidente da Federação do PS Viseu.

Ouça aqui…

https://youtu.be/StXcmNxY61w

O Comendador-administrador Borges vai tornar-se um “caso de estudo”, pois não obstante ter asneira da grossa feita por várias concelhias rosa do distrito, provavelmente, fruto dos ventos favoráveis da “governança”, da inépcia de certos edis e de outros que já não podem candidatar-se, sujeita-se a ter um razoável resultado nas autárquicas de Outubro do corrente.

Vamos só a alguns factos:

Na concelhia da Lamego a escolha do candidato nada teve de pacífica e, porém, pelo péssimo desempenho de Francisco Lopes, pelas asneiradas das distritais do PSD e do CDS – Hélder Amaral está nas últimas… — pelo desconhecido candidato laranja, o PS é obrigado a ganhar, conquistando um importante bastião a norte do distrito.

No Sátão, o PS desistiu de apresentar lista – o que eventualmente é uma “première”, arrasado pela apresentação da candidatura independente de Acácio Pinto e do PNT.

Em Sernancelhe, onde depois de ter sido escolhido como candidato César Lourenço — um bom candidado — o trocaram, em 2ª e pouco digna escolha, por uma advogada com escritório em Viseu.

No Carregal do Sal, só à última da hora conseguiu o “sim” de Rogério Abrantes.

Em Cinfães, o “histórico” João Sobral, presidente da concelhia, demitiu-se repentinamente em ruptura devida às escolhas locais.

Em Tondela, com a nomeação “caída de para-quedas” de um Ginestal para o IEFP à revelia da CPC, que Joaquim Santos engoliu mal, houve “borrasca” da grossa.

Em Nelas, o candidato oficial, Borges da Silva, em guerra aberta contra todos que legitimamente têm cabeça própria para pensar, de Alexandre Borges a Adelino Amaral, presidente da concelhia, demitiu o vice-presidente Alexandre Borges e, agora, levou António Borges (com tantos Borges até parecem primos…) a pedir a provável “expulsão” de Adelino Amaral, o que deu azo a esta publicação no Facebook do PS Nelas, apodada de “Começou a caça às bruxas”:

“Começou a caça às bruxas:

À Comissão Federativa de Jurisdição
Caro camarada Ângelo Moura
Tomei conhecimento da publicação, que junto em anexo, no facebook do PS de Nelas e da autoria do presidente da respetiva concelhia, Adelino Amaral.
Envio por este meio à Comissão Federativa de Jurisdição a referida tomada de posição para os devidos efeitos, porque viola gravemente os estatutos do PS.
Informo que desta comunicação dou também conhecimento ao referido presidente da concelhia e aos serviços da federação.
Saudações socialistas
António Borges”

Borges aparece também envolvido em questiúnculas com Daniel Martins, o candidato do PSD de S. Pedro do Sul, mimoseando-se mutuamente muito… Aliás, São Pedro do Sul está ao rubro com a constituição em arguido de Adriano Azevedo e da vereadora Catarina Rodrigues, mas aí iremos a seu tempo.

Em suma, “É tempo de confiança”, dizia ele, de “Coesão e de proximidade”, atordoava no papel e aos microfones este ex-presidente da Câmara de Resende, ex-presidente do CA da Gaianima, ex-deputado e actual membro do CA das Águas do Douro e Paiva – este último lugar parece ser muito catita e “estável”…– agora, quebrada a “confiança” em tantas concelhias e no próprio percurso político do visado, haverá alguma “coesão” neste agir? E quanto a “proximidade”? Respondam os supra citados…

Entretanto, os seus irrefragáveis bastiões, Lamego, Resende, Cinfães e Santa Comba Dão andam de mangas arregaçadas em busca de muitos mais militantes, o que é extremamente saudável e mostra a dinâmica partidária. Há que ter votantes e votos, senão…

(foto DR)